VINHOS ITALIANOS
Garrafas de Vinho na decoração
05.02.2016

Vinho é sinônimo de festa, alegria, comemoração, mas o que fazer com as garrafas vazias? Separamos algumas dicas de decorações que deixam o ambiente mais aconchegante e especial.

Garrafa vazia? Guarde-a, se possível, com o rótulo intacto para preparar sua luminária. Sabe aquelas luzes de pisca-pisca de Natal que passam o ano inteiro guardadas. Coloque as luzes no interior da garrafa e ligue na tomada. E se quiser acrescentar mais um toque, você ainda pode colocar uma cúpula de abajur. Qualquer ambiente se transforma com o charme dessa luminária.

 

Outono: a melhor estação para os vinhos tintos!
26.02.2016

Ah! o Outono! Início de uma fase de transição dos extremos da temperatura entre verão e inverno. Época em que o vento sopra de forma diferente. As folhas perdem o verde, passam do vermelho ao amarelo e ficam lindas antes de caírem e iniciarem novo ciclo natural.

Calma, a introdução tem seu efeito, pois, se você é um daqueles que falam que não gostam de vinho branco ou rosé, que reclamam que não bebe vinho no calor e que é isso e que é aquilo, acabaram as desculpas, vez que a melhor época para os tintos é agora, ou quer coisa melhor do que degustar um bom vinho tinto com esse friozinho que se aproxima?

Vamos falar um pouco mais sobre ele: o vinho tinto!

ELABORAÇÃO: O vinho tinto, ao contrário do branco, é fermentado com a casca, pois é a casca da uva que dá a cor nos vinhos tintos. É possível fazer um vinho branco com uva tinta, isto é, utilizando apenas o néctar do bago, separando-o da casca. 

Já o contrário, ou seja, fazer um vinho tinto só com uvas brancas: Impossível! Vale frisar que existem blends de vinhos tintos elaborados com uvas tintas e brancas que são fantásticos, como alguns vinhos do Rhône, onde é misturada a Grenache blanc ou a Viognier com outras variedades tintas, a branca Viura na Rioja, e no novo mundo já tem produtor misturando Pinot Noir com Chardonnay, o que, acreditem, está ficando bem bom!!

FERMENTAÇÃO: Nos vinhos tintos as uvas são passadas pelo desengaçador, para separar os bagos dos engaços e depois são amassadas e o mosto é bombeado para os tanques de fermentação. A casca tem que estar sempre em contato com o mosto, por isso o mosto está sempre sendo mexido para que as cascas não flutuem e venham formar uma espécie de nata de cascas, chamada de “chapéu”. Os tintos normalmente sofrem uma segunda fermentação, chamada de malolática. Aqui, o ácido málico é transformado em ácido láctico, a fim de dar suavidade ao vinho, tirando a agressividade e acidez em demasia do ácido málico.

Após a fermentação, alguns tintos descansam por um tempo em tanques de cimento epóxi ou aço inoxidável e depois já vão para a garrafa. Outros ainda passarão por um envelhecimento em barricas de carvalho, visando a dar uma equilibrada no vinho antes de ser envasado, podendo ainda passar por uma fase de correções, clarificações e filtro. Hoje em dia é comum verificarmos nos rótulos que o vinho não foi filtrado, podendo assim, conter sulfitos, também conhecidos como “borras”, que muitas vezes chegam a grudar na garrafa. Isso é normal, não se assustem!

 

Pois bem. Para o consumo e guarda, a “regra geral” é que o vinho tinto jovem deva ser consumido até os seus cinco anos de idade, para se aproveitar o frescor e a fruta. Já os vinhos tintos mais potentes, considerados “de guarda”, podem evoluir na garrafa por muitos anos, mas nem todos, hein!

Lembrem-se que aquela história que “o vinho quanto mais velho melhor” é uma balela! Cuidado! Claro que toda regra comporta exceção, haja vista os grandes vinhos de Bordeaux, mas, mesmo assim, convém recordar: “é preferível tomar um vinho anos antes, do que um dia depois!”.

Após aberto, o vinho merece um descanso antes do consumo, pois imaginem só, ele se sente como “um gênio dentro da lâmpada”, sem oxigênio algum e de repente você o desarrolha e já põe na taça e manda goela abaixo! Calma! O vinho tinto merece uma certa atenção, pedirá um tempo de adequação, respiro e equilíbrio antes de ser degustado. Relaxa!

UVAS: As mais conhecidas e usuais no mercado são as seguintes: Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Pinot Noir, Shiraz ou Syrah, Malbec, Carmenere, Tannat, Tempranillo, Sangiovese, Pinotage, Nebbiolo. Petit Verdot e Touriga Nacional. 

Mas, também existem diversas outras uvas tintas espalhadas no mundo, valendo frisar: Baga, Touriga Franca, Aragonês, Bonarda, Grenache, Barbera, Gamay, Mourvedre, Nebbiolo, Nero D´Avola, Primitivo di manduria, Carignan ou Cariñena, Tinto Cão, Tinto Fino, Tinta Barroca, Tinta Roriz, Agiorgityko, Aglianico, Canonnau, Canaiolo, Cinsault, Corvina, Molinara, Rondinella, Dolcetto, Malvasia Nero, Mazuelo, Monastrell, Negroamaro, Pinot Meunier, Zinfandel, entre muitas mais.

SERVIÇO: Para os vinhos tintos, procure servi-lo numa temperatura média de 16ºC a 18ºC. Lembre-se, acima de 20ºC não fica legal. Por isso, se não tiver uma adega, não hesite em deixar a garrafa por alguns minutos antes na geladeira para dar uma resfriada, ou então, sirva-o num decanter sobre uma assadeira com água fria. Tá tudo certo!

EM MIÚDOS: Eis o vinho tinto! Eu sou suspeito pra falar, porque bebo vinho tinto o ano todo, independentemente de estação, frio ou calor. Mas que o outono é especial e deixa tudo mais gostoso, isso eu não tenho dúvidas. Aproveitem!

O vinho mais caro da Itália
19.02.2016

O vinho italiano é já bastante famoso pra ficarmos por aqui gastando mais adjetivos com elogios. Mas a pergunta desta vez não é qual o melhor vinho italiano, até porque isto depende muito mais de opiniões subjetivas que de afirmações categóricas. Trazemos para vocês algo mais - ou no caso, menos - palpável: o vinho italiano mais caro.

Chama-se Masseto di Tenute dell’Ornellaia e é um vinho de cor rubi intensa e vivaz, com odores de frutas silvestres e sabor robusto. O Masseto é um vinho relativamente novo: foi produzido pela primeira vez nos anos 80 e conquistou logo o grande público, tornando-se um dos mais procurados no mundo.

Trata-se do Merlot italiano mais importante, produzido em Bolgheri, uma fração da cidade de Castagneto Carducci, pela Tenuta dell’Ornellaia em uma propriedade com apenas 210 hectares, onde são selecionadas somente as melhores uvas para produzir este vinho, amadurecido em barris de carvalho franceses. O preço? 3.400 euros por uma garrafa da safra 2000.

Marche - Uma das mais belas regiões da Itália
12.02.2016

Marche (Marcas como é chamada no Brasil) é bem menos conhecida que outras regiões de grande prestígio turístico como Piemonte, Vêneto, Toscana, Sicília... mas tudo é questão de desconhecimento, pois basta você começar a se aproximar das comunas locais para se impressionar com as lindas paisagens que parecem pinturas cuidadosamente criadas pela natureza. 

Logo que você chega à Itália uma das primeiras coisas que vem na sua cabeça é sobre os vinhos. E é fácil de entender isso, pois os vinhos italianos são uns dos melhores do mundo e acabam chegando muito caros por aqui. Também há o fato que poucos produtores têm seus vinhos importados para o Brasil, que nos deixa ainda mais curiosos para provar novidades e produtos ainda desconhecidos.

A diversidade de vinho da região também é impressionante. Vai desde vinhos tintos leves e muito frutados, como o Lágrima de Morro d’Alba, feito com maceração carbônica, até brancos muito encorpados, como o Verdicchio (principal vinho da região). O último sendo o vinho branco mais premiado do país. Tamanha é essa diversidade (mais de 52 variedades de uvas, sendo 30 autoctones) que em breve vou escrever um artigo só para abordar os vinhos.

A lista dos 50 melhores vinhos italianos de 2015
05.02.2016

Best Italian Wine Awards elege os 50 melhores vinhos de Itália. O comité de degustadores é formado por Luca Gardini (já melhor sommelier do mundo), Daniele Cernilli (fundador do Gambero Rosso), Tim Atkin (Master of Wine inglês), Christy Canterboury (Master of Wine americana), mais outros críticos e degustadores profissionais.

Confira a lista a seguir:

1 GIUSEPPE MASCARELLO E FIGLIO – MONPRIVATO BAROLO DOCG 2010 Piemonte
2 GIUSEPPE RINALDI – BRUNATE BAROLO DOCG 2011 Piemonte
3 DUEMANI – DUEMANI COSTA TOSCANA IGP CABERNET FRANC 2012 Toscana
4 PALLADINO – PARAFADA BAROLO DOCG 2011 Piemonte
5 MARCO DE BARTOLI – VECCHIO SAMPERI VENTENNALE S.A. Sicilia
6 TENUTA LE POTAZZINE – BRUNELLO DI MONTALCINO DOCG 2011 Toscana
7 TENUTA SAN GUIDO – SASSICAIA BOLGHERI DOC 2012 Toscana
8 PARUSSO ARMANDO – BUSSIA RISERVA ORO BAROLO DOCG 2006 Piemonte
9 CANTINE MARISA CUOMO – FURORE BIANCO FIORDUVA COSTA D’AMALFI DOC 2013 Campania
10 VALENTINI – TREBBIANO D’ABRUZZO DOC 2012 Abruzzo
11 FERRARI F.LLI LUNELLI – GIULIO FERRARI RISERVA DEL FONDATORE TRENTO DOC 2004 Trentino
12 BIONDI SANTI – BRUNELLO DI MONTALCINO DOCG 2010 Toscana
13 PODERE LE RIPI – LUPI E SIRENE BRUNELLO DI MONTALCINO DOCG 2010 Toscana
14 POGGIO DI SOTTO – BRUNELLO DI MONTALCINO DOCG 2010 Toscana
15 ROAGNA – ASILI VECCHIE VITI BARBARESCO DOCG 2009 Piemonte
16 DIEGO CONTERNO – GINESTRA BAROLO DOCG 2011 Piemonte
17 GIACOMO BORGOGNO E FIGLI – LISTE BAROLO DOCG 2010 Piemonte
18 TENUTA DI PETROLO – GALATRONA TOSCANA IGT 2012 Toscana
19 CASANOVA DI NERI – TENUTA NUOVA BRUNELLO DI MONTALCINO DOCG 2011 Toscana
20 SANTA BARBARA – MOSSONE MARCHE ROSSO IGT 2012 Marche
21 ARGIOLAS – TURRIGA ISOLA DEI NURAGHI IGT 2011 Sardegna
22 DAL FORNO ROMANO – VIGNETO DI MONTE LODOLETTA AMARONE DELLA VALPOLICELLA DOC 2010 Veneto
23 IL MARRONETO – SELEZIONE MADONNA DELLE GRAZIE BRUNELLO DI MONTALCINO DOCG 2010 Toscana
24 SOTTIMANO – CURRÀ BARBARESCO DOCG 2011 Piemonte
25 JERMANN – VINTAGE TUNINA BIANCO VENEZIA GIULIA IGT 2013 Friuli
26 AZELIA – BRICCO FIASCO BAROLO DOCG 2011 Piemonte
27 BROVIA – BREA VIGNA CA’ MIA BAROLO DOCG 2011 Piemonte
28 CA’ LA BIONDA – VIGNETI DI RAVAZZOL, AMARONE DELLA VALPOLICELLA DOC CLASSICO 2010 Veneto
29 TORRE DEI BEATI – BIANCHI GRILLI (PER LA TESTA) ABRUZZO DOC PECORINO 2013 Abruzzo
30 MONTE ROSSA – CABOCHON STELLATO FRANCIACORTA DOCG 2005 Lombardia
31 CASTELLO D’ALBOLA – IL SOLATIO CHIANTI CLASSICO GRAN SELEZIONE DOCG 2010 Toscana
32 LUSIGNANI – VIN SANTO DI VIGOLENO DOC 2004 Emilia Romagna
33 TUA RITA – REDIGAFFI TOSCANA ROSSO IGT 2012 Toscana
34 PODERI BOSCARELLI – IL NOCIO VINO NOBILE DI MONTEPULCIANO DOCG 2011 Toscana
35 CA’ DEL BOSCO – CUVÉE ANNAMARIA CLEMENTI ROSÉ FRANCIACORTA 2006 Lombardia
36 ZIDARICH – VITOVSKA VENEZIA GIULIA IGT 2012 Friuli
37 FATTORIA ZERBINA – ARROCCO ALBANA DI ROMAGNA DOCG PASSITO 2012 Emilia Romagna
38 FERGHETTINA – RISERVA 33 FRANCIACORTA PAS DOSÈ DOCG 2007 Lombardia
39 MASSOLINO – VIGNA RIONDA RISERVA BAROLO DOCG 2009 Piemonte
40 TENUTE CISA ASINARI DEI MARCHESI DI GRESY – CAMP GROS MARTINENGA BARBARESCO DOCG 2010 Piemonte
41 CASTELLO DI MONSANTO – IL POGGIO CHIANTI CLASSICO RISERVA DOCG 2010 Toscana
42 GIANFRANCO FINO – ES PRIMITIVO DI MANDURIA DOC 2013 Puglia
43 MICHELE CHIARLO – CEREQUIO BAROLO DOCG 2011 Piemonte
44 BURLOTTO COMM. G.B. – MONVIGLIERO BAROLO DOCG 2011 Piemonte
45 BUSSIA SOPRANA – MOSCONI BAROLO DOCG 2010 Piemonte
46 FLORIO – DONNA FRANCA MARSALA SUPERIORE RISERVA DOC S.A. Sicilia
47 POLVANERA – POLVANERA 17, PRIMITIVO DOC GIOIA DEL COLLE 2012 Puglia
48 ZÝME’ – RISERVA LA MATTONARA AMARONE CLASSICO DELLA VALPOLICELLA DOP 2004 Veneto
49 FATTORIA DI FIORANO – FIORANO ROSSO 2010 Lazio
50 ETTORE GERMANO – HÉRZU LANGHE DOC RIESLING 2013 Piemonte

26/08
Por que tomar meia taça de vinho por dia - parte 01


19/08
Efeito Agulha


12/08
Curiosidades históricas sobre vinho - parte 02


05/08
Curiosidades históricas sobre vinho - parte 01


22/07
A diferença entre o vinho frisante, espumante e champagne - Champagne


15/07
A diferença entre o vinho frisante, espumante e champagne - Espumante


08/07
A diferença entre o vinho frisante, espumante e champagne - Vinho Frisante


01/07
As 7 principais uvas brancas do mundo


10/06
5 motivos para escolher os vinhos brasileiros - parte 02


02/06
5 motivos para escolher os vinhos brasileiros - parte 01


23/05
Enogastronomia


20/05
Tipos de Vinhos: Características dos vinhos


13/05
Tipos de Vinhos - Categorias Especiais


05/05
Uma adega diferente


29/04
Feiras de Vinho


22/04
Decoração com garrafas de vinho


08/04
Porta-rolhas


01/04
Vinho na troca de alianças


24/03
Vinho como acompanhamento de peixe


15/03
Qual vinho combina com qual prato?


11/03
como ler os rótulos dos vinhos


05/02
Garrafas de Vinho na decoração


26/02
Outono: a melhor estação para os vinhos tintos!


19/02
O vinho mais caro da Itália


12/02
Marche - Uma das mais belas regiões da Itália


05/02
A lista dos 50 melhores vinhos italianos de 2015


22/01
Sete curiosidades históricas sobre vinhos


15/01
5 Teorias sobre o Fundo da Garrafa de Vinho


08/01
Que taça escolher?


25/12
Vinhos para a Ceia Natalina


18/12
O vinho laranja é o velho branco.


11/12
Coisas que você precisa saber sobre vinho


04/12
Coisas que você precisa saber sobre vinho


27/11
Coisas que você precisa saber sobre vinho


20/11
Coisas que você precisa saber sobre vinho


13/11
Vinhos para dias quentes


06/11
Primavera: veja vinhos para beber nesta estação "meio-termo"


30/10
Aprenda a escolher um vinho para servir no almoço


23/10
Aprenda a escolher um vinho para servir no almoço


16/10
Aprenda a escolher um vinho para servir no almoço


09/10
Aprenda a escolher um vinho para servir no almoço


02/10
Apesar da crise, brasileiros estão consumindo mais vinho


25/09
Dicas de como beber vinho no calor


18/09
Vinhos Italianos do Passado e do Presente (continuação)


11/09
Vinhos Italianos do Passado e do Presente


04/09
Como escolher um vinho italiano


28/08
Conservar vinhos em casa


21/08
Vinho da Tavola


14/08
Vinho Barolo


07/08
Vinho Amarone


22/07
Vinhos que combinam com o inverno


17/07
Classificação dos Vinhos Italianos


10/07
Beneficios do vinho - itens 9 e 10


03/07
Beneficios do vinho - itens 7 e 8


26/06
Beneficios do vinho - itens 5 e 6


19/06
Benefícios do vinho - itens 3 e 4


10/06
Benefícios do vinho - itens 1 e 2


29/05
10 benefícios reais do vinho para a saúde!


20/05
Passeio por Milão com direito a conhecer Vinícolas e degustar espumantes


01/05
CATEGORIAS ESPECIAIS DE VINHOS


24/04
Como conservar bem a bebida em casa? Aprenda cinco dicas.


17/04
Classificação de vinhos Italianos


10/04
3. Degustando vinhos


04/04
Como degustar vinhos - 2 - Olfativas


27/03
Como degustar vinhos


20/03
Como combinar vinhos e queijos


13/03
Brunello di Montalcino


06/02
Frisante ou espumante?


20/02
Rolhas II: da floresta à garrafa!


13/02
De onde vem as rolhas?


06/02
Folino Capito (Sacchetto) Merlot


29/01
Barolo


11/12
A história do vinho


11/12
Que taça escolher?


Janeiro 2015
Janeiro 2016
Fevereiro 2015
Fevereiro 2016
Março 2015
Março 2016
Abril 2015
Abril 2016
Maio 2015
Maio 2016
Junho 2015
Junho 2016
Julho 2015
Julho 2016
2015
2016
2015
Outubro 2015
Novembro 2015
Dezembro 2014
Dezembro 2015
Rua Padre Almeida, nº 735 – Cambuí  |  Campinas – SP  |  Artesanalli Massas e Molhos: 19 3255.5392
Rua Padre Almeida, nº 735 – Cambuí
Campinas – SP
Artesanalli Massas e Molhos: 19 3255.5392